quinta-feira, 30 de maio de 2013

Os Cientistas Tentam Entender Se Existem ou Não, Ondas nos Mares de Titã...

Titã a maior Lua de Saturno, é composta na superfície, por Lagos e Mares e até hoje, os Cientistas não conseguiram entender se estes têm ondas como os Mares da Terra. 
A Sonda Cassini está sobrevoando o Mar do Norte de Titã, chamado "Ligeia Mare", à procura de indícios. Os dados de hipsometria serão recolhidos pelo Instrumento de Radar.
Os Lagos e Mares de Titã foram Descobertos por esta mesma Sonda em 2005 e desde então a sua composição e o que escondem no seu interior têm intrigado os Cientistas de todo o Mundo, ao ponto da NASA planear enviar um pequeno Barco ou Submarino para que os Investigue.
Lagos, Mares e Rios de hidrocarboneto cobrem grande parte do Hemisfério Norte de Titã, fazendo com que este Planeta seja o único conhecido, além da Terra, capaz de manter líquido estável à superfície. Além disso, estes hidrocarbonetos também caem em forma de chuva!!! Enquanto o ciclo hidrológico da Terra depende da água, o ciclo equivalente desta Lua depende do etano e do metano.
A questão é que com uma temperatura de -178ºC o Ambiente desta Lua é tão frio que é difícil perceber se pode produzir ou não os efeito das ondas.
O Cientistas pensam que à medida que as Estações mudam até ao Verão no Hemisfério Norte de Titã, produzem-de ondulações sobre os seus Mares e,pensam que os Furacões podem começar a girar sobre estas zonas.

“Fazer um prognóstico de tempo é ainda mais difícil em Titã do que na Terra”, admite Scott Edgington, Sub-Director Científico do projecto Cassini, no Laboratório de Propulsão a Jacto (JPL) da NASA. “Sabemos que há processos Climáticos semelhantes aos da Terra neste Mundo estranho, mas surgem diferenças devido à presença de líquidos como o metano”.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Horrores Cometidos Pelos Japoneses na 2ª Guerra Mundial...

Esta Historia,Verdadeira,recentemente Descoberta,apenas não deve ser lida por corações mais sensiveis,pois de facto é Horrorosa...

Um historiador Japonês, Yuki Tanaka,numa busca  de factos Historicos da 2ª Guerra Mundial,para o seu livro;"Hidden Horrors"descobriu em Documentos Classificados Australianos,que narravam Historias horrorosas de Canibalismo do exercito Japonês com pormenores Macabros...
Cerca de 160 mil Japoneses Invadiram Papua Nova Guiné mal preparados,pois apenas estudaram a ilha através de Mapas,que não mostrava nada sobre a Ilha...assim,depressa os alimento se esgotaram e eles não viram alternativa senão comer carne humana...era isso ou a morte.
Quando havia pausas entre as Batalhas contra os Australianos,logo que podiam íam buscar os  Australianos mortos e comiam-nos,cortados aos pedaços numa sopa...Depressa consumiram a carne humana dos falecidos e viraram-se para os seus prisioneiros,mas em vez de os matarem logo,não...cortavam-lhes pedaços das zonas mais cheias de carne,como as pernas...deixando-os em extrema agonia,com enormes buracos no corpo,até que o sofrimento e os constantes cortes,acabavam com as suas Vidas...Os Japoneses pensavam que assim,a carne não se estragava,porque o sangue  continuava a correr no corpo humano vivo,não apodrecendo tão facilmente...!!!
As tropas Australianas só deram conta dos horrendos banquetes quando conseguiam invadir-lhes o acampamento e descobriam membros humanos e orgãos pendurados nas arvores a secarem,como se uma Despensa se tratasse.
Os Australianos enraivecidos pelo atroz Destino dos seus camaradas,abatiam-nos logo,a sangue frio,não fazendo mais prisioneiros...
Após a horrenda Descoberta dos Arquivos o Escritor conseguiu falar com Japoneses ainda vivos,que lhe contaram mais pormenores do Canibalismo Japonês...
Como eles se viram sem mais alimento,após terem matado todos os Prisioneiros viraram-se uns contra os outros e tiravam á sorte,através de paus mais curtos que outros, quem morreria a seguir...
Outro Soldado contou que certo Soldado andava com um braço ás costas e que todos os camaradas lhe suplicavam que lhes desse um pedaço... ao menos os dedos...assim,ele cortou os dedos e atirou-lhes,continuando o seu caminho com o resto!!!

Os Americanos e os Australianos decidiram não dizer nada no final da guerra pelo choque que essa notícia poderia causar entre os familiares dos Prisioneiros...

"É óbvio que todos os Exércitos tiveram tentações de cometer crimes, mas alguns mantiveram certas coerências e proporções. No entanto, há diferentes pautas de comportamento. Nem todos os Exércitos foram iguais".
Os relatórios existentes deixam claro que a sua prática "era algo mais do que apenas incidentes isolados perpetrados por individuais ou pequenos grupos." Tanaka destaca o facto de que;

 "A disciplina foi mantida a um grau surpreendente, sendo esta a razão para alguns soldados a participar, a fim de evitar ser visto como traidores da solidariedade de grupo ou mesmo , em alguns casos, para evitar ser comido pelos seus próprios companheiros ".

Atrocidades existem em todas as Guerras, embora o Canibalismo dos Japoneses é, sem dúvida, o facto mais terrível que se conheceu recentemente!!!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

A Verdadeira Historia dos Borgias 2...


Séparateur
(Continuação...)
Lucrezia Borgia;

Lucrezia Bórgia nasceu em 18 de Abril de 1480, na Comuna de Subiaco, perto de Roma.
Os primeiros anos de vida da menina foram passados na casa da sua mãe,Vanozza, nas imediações de Roma, na chamada "Piazza Pizzo di Merlo", em absoluta paz familiar. Ela tinha um pai que a adorava, uma mãe dedicada, dois irmãos que brigavam pela sua atenção, e outro para mimar,mais novo que ela. Já nesta época, começaram a surgir as primeiras desavenças entre Giovanni e Cesare Bórgia. Tudo começou pela disputa que os dois travavam pela preferência da pequena irmã, e pelos ciúmes que Cesare nutria devido à preferência que o seu pai tinha por Giovanni.
Quando completou nove anos, Lucrezia foi separada dos seus irmãos; Giovanni seguiu para a Espanha. Cesare viu-se obrigado por Rodrigo a entrar para a vida Religiosa, mesmo sem a menor vocação; e a própria Lucrezia foi despachada para a casa de Adriana de Mila, Dama da Nobreza e viúva, a fim de receber uma educação erudita ao lado da rigorosa senhora.

Casamento Com Giovanni Sforza;

Lucrécia casou com Giovanni Sforza em 12 de Junho de 1493; ela tinha 13 anos e ele 26. Sforza recebeu como dote 15.000 Ducados. Todos os seus irmãos estiveram presentes na Cerimónia. Desde que eles haviam saído da casa de Vanozza, em 1489, que os irmãos Bórgia não se encontravam. Cesare, agora Cardeal, e Giovanni, agora Duque de Gandia, brigavam mais do que nunca. Agora não apenas por causa da atenção da irmã ou do pai, mas sim por quem tinha mais mulheres e mais riquezas. Porém, o maior espanto de todos não foi Cesare, Giovanni ou muito menos Gioffre; mas sim, Lucrezia, a noiva, que havia mudado tanto física quanto psicologicamente. Da menininha que era em 1489, agora ela era precocemente uma mulher fatal que já tinha desejos carnais activos. Seu corpo não aparentava, nem de longe, os seus treze anos e já mostrava belas formas capazes de chamar a atenção de qualquer homem. Lucrezia tinha cabelos cor de ouro e olhos de um azul cintilante. Ela ficou famosa como a mais Bela mulher de toda Roma,na época.
Os encantos da garota seduziram todos os presentes, mas não o duro e áspero noivo. Foi documentado que Giovanni Sforza permaneceu frio a Lucrezia durante todas as festividades, e nem sequer dançou com a noiva no banquete. Porém, isso não fez a mínima diferença para ela. Se ela tinha um marido que não estava disposto a dançar, ela tinha irmãos que estavam - e muito.
Lucrezia permaneceu por todo o banquete acompanhada ora por Cesare, ora por Giovanni . Quando marido e mulher foram se deitar no quarto nupcial, os dois leram para a irmã Poemas falando de Amor. 
Começaram aí as primeiras acusações de Incesto na Família Bórgia,embora recitar Poemas de Amor para a noiva era um costume Italiano muito activo no século XV.
O casamento não se consumou, pois a noiva era considerada jovem demais. E, por incrível que isso pareça, Lucrezia se manteve virgem e intacta até á primeira noite com o marido por volta de 1495. Os dois anos que separaram o casamento da consumação, marido e mulher passaram totalmente afastados, Giovanni Sforza governando Pésaro e Lucrezia fruindo as orgias nos aposentos do seu pai e dos seus irmãos no Vaticano. Neste meio tempo, Alexandre depõe Giulia Farnese como sua amante favorita e a expulsa do Vaticano; assim Lucrezia fica sem a amiga. Porém, ela já arranjaria outra; a nova esposa do seu irmãomais novo, Gioffre, Sancha de Aragão, filha Bastarda do Rei de Nápoles.
Giovanni Sforza levou Lucrezia para Pésaro assim que pôde, lá ela foi violentada pelo próprio marido,quando Cesare soube tratara de fazer Vingança. Quando Sforza retornou ao Vaticano com Lucrezia, Cesare  planejava matar Giovanni Sforza para que este parasse de bater em Lucrezia e de violá-la.
Ao perceber que a sua irmã havia ajudado Giovanni Sforza a fugir, Cesare trancou-se no seu quarto com Lucrezia. Conta-se que ela gritava dizendo que estava altamente decepcionada e escandalizada com a sua crueldade e do resto da familia, e que desejava afastar-se deles para sempre. Um pouco menos exaltada, ela pediu ao seu pai que a deixasse passar uma temporada no Convento de San Sisto. Ela partiu, enquanto seus irmãos e Alexandre VI planejavam a anulação do Casamento de Lucrezia com Sforza, baseando-se no hipótese de Giovanni ser impotente (apesar da sua primeira esposa ter morrido em consequência de parto), e que o casamento nunca foi consumado. Duas grandes mentiras!!!
Em 14 de Julho de 1497, César e Giovanni vão Cear na casa da mãe, Vanozza Cattanei. Giovanni parte antes mesmo da Ceia terminar, alegando um encontro amoroso com uma das suas amantes. Ele reaparece apenas dias depois, morto no Rio Tibre, degolado e com grandes feridas por todo o corpo. As Investigações dos emissários de Alexandre VI começaram, e todas as provas apontavam apenas um assassino; Cesare Bórgia. Além de criados seus terem sido vistos nas imediações do local no horário do acontecimento, ele era a pessoa que mais tinha motivos para assassinar Giovanni; a inveja por seu irmão ser duque de Gandia, já que, sendo o mais velho, teoricamente Cesare teria esse direito; a preferência que o pai sempre deu a Giovanni; o ciúme doentio que ele sentia por Lucrezia ser mais próxima a Giovanni - aos olhos dele, já que ela sempre declarou que César era o seu irmão favorito. Ao perceber que seu próprio filho era o responsável, o Papa ordenou que as Investigações fossem terminadas, antes que o Escândalo fosse ainda maior.
Logo após a morte de Giovanni Bórgia, outra polemica familiar ocorria; a suposta gravidez de Lucrécia, apesar de esta estar enclausurada num Convento. Há especulações que durante o processo prolongado da Anulação, Lucrezia consumou um relacionamento com  o belo jovem Espanhol Pedro Calderón, também chamado de Perotto.Calderón era da criadagem do Papa Alexandre e era o incumbido de transportar a correspondência entre pai e filha. O certo é que, por algum tempo, ele realmente foi amante de Lucrezia Bórgia, mas não há como provar se ele a engravidou ou não. Em todo o caso, os inimigos dos Bórgias viriam acusá-la de estar grávida quando seu Casamento foi anulado por falta de consumação.
Foi Documentado que ao descobrir o Romance entre a sua irmã e Pedro, Cesare, desvairado de raiva e de ciúme, o esfaqueou, porém o rapaz conseguiu chegar aos aposentos do Papa e sujou sua batina de sangue. Pedro Calderón escapou desta vez, mas a sorte não lhe sorriria novamente. Pouco depois, ele seguiu o Destino de Giovanni Bórgia, e assim, em Fevereiro de 1498, os corpos de Pedro Calderon, e uma empregada doméstica, Pantasilea, foram encontrados no Rio Tibre. E o assassino foi também o mesmo de Giovanni; Cesare Bórgia.
Em princípios de 1498, Lucrezia seguiu até o Vaticano para atestar sua "virgindade" e assim poder anular o seu Casamento com Giovanni Sforza. Ela conseguiu convencer os jurados, usando várias náguas para esconder seu estado. "Virgo Intacta Sum", declarou ela. Lucrezia agora se preparava para Casar-se novamente, desta vez com Afonso de Aragão, Duque de Biscegli.
Em Março de 1498, o Embaixador de Ferrara afirmou que Lucrezia tinha dado à luz, mas isto foi negado por outras fontes. No entanto, uma criança nasceu na família Bórgia um ano antes do Casamento de Lucrezia com Alfonso de Aragão; foi chamado Giovanni, mas é conhecido pelos Historiadores como o Infante Romano. Em 1501, duas bulas papais foram emitidas sobre a criança, Giovanni Bórgia. Na primeira, foi reconhecido como filho de Cesare de um caso antes do seu casamento. A segunda bula, contraditória, reconheceu-o como o filho do Papa Alexandre VI. O nome de Lucrezia não é mencionado em nenhuma delas, e os rumores de que ela era sua mãe nunca foram provados. A segunda bula foi mantida em segredo por muitos anos, e Giovanni foi assumido como sendo o filho de Cesare. Após a morte de Alexandre, Giovanni foi com Lucrezia para Ferrara, onde ele foi aceito como seu meio-irmão.
Casamento Com Afonso de Biscegli;

Em 17 de Junho de 1498, Lucrezia  desposa Afonso de Biscegli numa Cerimonia pomposa no Vaticano. Lucrezia tinha 18 anos, e Afonso 17. Ele, na realidade não tinha a mínima vontade de se casar com uma Bórgia, pois tinha escutado boatos de que a esposa era uma cruel envenenadora que guardava um veneno mortal dentro de um anel, uma mulher frívola que era "filha, mulher e nora" do seu pai. Porém, ao conhecer Lucrezia e verificar que ela era realmente bonita e aparentemente inofensiva, ele logo se apaixonou terminantemente.
No ano seguinte, Alexandre VI deu à filha Lucrezia a Fortaleza de Nepi e as regiões de Spoleto e Foligno para que ela Governasse. Lucrezia pela primeira vez mostrou a quem quisesse ver que ela não era apenas bonita, mas também muito inteligente e perspicaz. Afinal, ela sabia falar em várias Línguas (além do seu Italiano, Francês, Espanhol, Latim e um pouco de Grego). Governou os lugares com eficiência, justiça e piedade. Porém, a Felicidade de Lucrezia jamais duraria muito;o seu irmão, muito enciumado ao ver a Felicidade da irmã, recomeça a arquitectar. E ele encontra mais um motivo para ter certeza que a Aliança com Biscegli era maligna para a Familia; o facto é que ele se iria casar com uma das Princesas Francesas, e justamente os inimigos de Afonso e da sua Casa de Nápoles
Assim, César Bórgia põe em acção mais um de seus planos sangrentos; o de matar o próprio Afonso de Biscegli. Lucrezia estava grávida agora, e César conseguiu convencer a irmã e o cunhado a ir ter a criança em Roma, que nasceu e foi chamado de Rodrigo. Em Julho de 1500, pouco depois da chegada do Casal, Afonso foi surpreendido por um grupo de homens fortemente armados esperando-o na Praça de São Pedro. Ele foi apunhalado, mas conseguiu fugir até os aposentos de Lucrezia, onde caiu gravemente ferido, no chão. Socorrido imediatamente pela sua mulher; Afonso recuperava-se. Lucrezia e a sua cunhada, Sanchia de Aragão, cuidavam de Biscegli e, com medo de Envenenamento, elas próprias faziam a comida do Duque. Porém numa noite de descuido de Lucrezia e Sanchia, Cesare e Michelotto Corella( um amigo,espião e assassino desde a juventude de Cesare) entraram sorrateiramente nos aposentos de Afonso e o enforcaram. Foi dito que quando saíram do quarto, Cesare deparou-se com Lucrezia do lado de fora. Ela gritou de horror.

Papisa;

Em 1501, o Papa passou algumas semanas em Nápoles, recém Conquistada pelos Franceses. O mais convencional, seria deixar um Cardeal de confiança do Papa na sua ausência para tomar as rédeas do Vaticano. Mas Alexandre VI Escandalizou a Europa com uma escolha inédita;durante sua viagem, a Papisa seria a sua filha Lucrezia Bórgia. O acto totalmente inédito na História do Papado, provocou uma fúria explicável no  Colégio dos Cardeais.
Casamento com Afonso D'Este;

Lucrezia, após  a sua controversa Regência,recolheu-se à Fortaleza de Nepi com o seu filho Rodrigo e Giovanni Bórgia (Infante Romano), enquanto o seu pai e irmão planejam mais um Casamento-chave para ela. Desta vez o novo alvo da família Bórgia era o filho do poderoso Duque de Ferrara, o jovem Afonso d´Este. O Casamento foi confirmado, e realizado em 30 de Dezembro de 1501, sem a presença do noivo, em Cerimonia simples no Vaticano. Em 2 de Fevereiro do ano seguinte, Lucrezia entra triunfalmente em Ferrara. Como Dote, foi pago aos d'Este 200.000 Ducados, apesar da proposta inicial do noivo ter sido de 300.000. Comparando aos 15.000 Ducados pagos a Giovanni Sforza, o primeiro marido de Lucrezia, alguns anos antes, a diferença é formidável. Lucrezia , na época uma menina de treze anos, não tinha nenhuma mácula  no seu nome. Mas agora, aos olhos de toda a Europa, ela era Envenenadora e Incestuosa. Lucrezia nunca mais tornaria a ver Alexandre VI, mas continuava a ver o irmão Cesare... Lucrezia tinha 22 anos e Afonso d´Este 25. Como o Duque de Biscegli, Afonso também não estava muito desejoso de se Casar com uma Bórgia. Mas também acabou sucumbindo aos encantos da jovem.
Na realidade, como disse a própria Isabella d'Este, irmã de Afonso d´Este, Lucrezia Bórgia estava muito acima das expectativas. Eles a imaginavam como uma; "mulher frívola e com a maldade nos olhos", mas o que encontraram foi uma pessoa "sensível e agradável". 
Um Cortesão de Ferrara descreveu a jovem como; 

"...de beleza delicada e grandiosa, que seus bons modos e compostura incríveis fazem parecer ainda maior".

 Lucrezia também teve de se acostumar com a frieza dos d´Este; diferentemente dos Bórgia, eles jamais se permitiam festas "alegres" que cambiavam para as Orgias, tão adoradas por Lucrezia. Em poucos anos, Lucrezia acabou por tornar-se muito mais uma d´Este do que uma Bórgia. Tornou-se inexpressiva, e o sorriso, companhia tão assídua que tinha quando era uma ´Bórgia´, era agora muito raro, apesar de estar sempre contente. As festas agora não faziam mais parte de seu planejamento, e sim as suas visitas aos orfanatos, Hospícios e Conventos. As obras sociais se tornaram prioridades na sua vida.
Cesare mantém visitas constantes à irmã na Corte de Ferrara, já que se instala em Cesena. Quando a irmã cai doente de malária (evento pelo qual abortaria uma criança), Cesare Bórgia vai a Ferrara (interrompendo uma Campanha Militar) desconfiando de um Envenenamento. Ele avisa perigosamente ao Duque que;

 "..se minha irmã morrer, o sangue dela não será o único derramado por aqui". 

Mas Lucrécia cura-se, e só depois o seu desconfiado irmão segue o seu caminho. Eles nunca mais se veriam...
Em 1503, o Papa Alexandre morreu, e com a eleição do Papa Júlio II, Cesare viu seus planos totalmente arruinados.Cesare foi morto em 1507, lutando pela França, numa emboscada na Espanha.
Duquesa de Ferrara;

Com a morte do sogro em 1505, ela e marido foram nomeados Duques de Ferrara. No mesmo ano, deu à luz o primeiro rebento do casal, Afonso. A criança morreu semanas depois, mas três anos depois o Casal Ducal foi presenteado com outro menino, Hércules. Depois deste, vieram outros filhos; Hipólito (1509), Francesco (1516), Alexandre (1514), Eleanora (1515), e Isabel Maria (1519). Ela foi boa mãe para todos os seus filhos, inclusive para os que estavam longe dela, como Rodrigo e o misterioso Giovanni, "O Infante Romano". Sabe-se que Rodrigo morreu em 1512, aos treze anos de idade, fazendo Lucrezia Bórgia sofrer e recolher-se num Convento por algum tempo; mas quanto ao "Infante Romano", apenas se sabe que ele morreu em 1548, tornou-se Duque de Spoleto, mas morreu relativamente esquecido e com pouco Status de neto de Papa, ou filho de Lucrezia Bórgia. Sua Linhagem é totalmente Desconhecida.

A primeira vez que Lucrezia ficou como regente em Ferrara foi um ano após a sua nomeação como Duquesa. Ela aproveitou a oportunidade para mostrar outra simpatia comum de sua família;a vontade de ajudar o Povo Judeu, ao criar um édito proibindo terminantemente qualquer tipo de discriminação contra eles. Lucrezia em Ferrara formou a chamada "Corte das Letras"; incluía escritores como Ludovico Ariosto (que dedicou-lhe "Orlando Furioso"),Pedro Bembo (que definiu o seu amor por Lucrezia Bórgia como "Platonico") e Hércules Strozzi, da poderosa família Strozzi, assassinado por Afonso d´Este pelo ciúme que ele sentia do literato com Lucrezia. Sua Corte também reunia Pintores como Ticiano e Venetto, entre outros. Em 1508, Lucrezia recebe o humanista Erasmo de Roterdã na sua Corte. Em 1506, ficou como Regente de Ferrara durante a ausência do marido, embora estivesse sob a vigilância do seu cunhado, o Cardeal Hipólito. Apesar das constantes Infidelidades do marido, - ele, após a morte de Lucrezia Bórgia, juntou-se a Laura Dianti, uma de suas amantes, que viveu como Duquesa de Ferrara apesar de nunca terem se casado formalmente - Lucrezia foi feliz com Afonso d`Este. Ela nunca o amou realmente, como ao seu segundo marido, porém tinha-lhe apreço e amizade.
Como uma Bórgia, Lucrezia guardava algum rancor do papa Júlio II (Giuliano della Rovere). Afinal, ele havia sido Inimigo ferrenho do seu Pai e traído seu irmão. Então, ela se jubilou quando Ferrara entrou em Guerra contra o Papa em 1511, e mais ainda quando a venceu. Comemorou mais ainda quando o Papa Júlio morreu, e quem assumiu o Trono Papal foi Giovanni de Médici, que adoptou o nome de Leão X. Afinal, os Médici sempre foi aliados dos Bórgias. Inclusive o novo Papa havia sido muito amigo do seu irmão Cesare nos tempos em que ambos cursavam a Universidade de Pisa.
Morte;

Aos 39 anos de idade, Lucrécia estava prestes a enfrentar outro parto. Prevendo a sua morte, ela enviou uma carta ao Papa Leão X pedindo a Bênção especial. Cercada de amor familiar, em 24 de Junho de 1519, morreu em Ferrara, após uma longa febre pós-parto. A bênção Papal não veio a tempo, mas Leão X escreveu ao viúvo que lamentava muito a morte da "Boa Duquesa", de quem o "inesquecível amigo Cesare falava com tanto carinho". Foi Sepultada no "Convento de Corpus Domini" (do qual ela foi protectora em vida), em Ferrara,num hábito de Freira.
A vida de Lucrécia estimulou as lendas, por sua beleza, por sua inteligência, seu refinado sentido político e seu talento. Admirada por brilhantes espíritos, em Ferrara foi adorada e apelidada «A Mãe do Povo».
Gioffre Bórgia, o menos turbulento dos filhos de Vanozza,é encarado hoje como o melhor dos Bórgia. Sempre apagado diante dos seus irmãos; Giovanni (Juan), que não tinha escrúpulos, o ambicioso César, a brilhante Lucrezia. Gioffre nunca se importou, como atesta um contemporâneo e, como tinha real vocação Religiosa, foi feito Cardeal após a morte da sua mulher Sanchia, em 1504. Quando desgraçadamente morreu o irmão Cesare três anos depois, foi obrigado a deixar a Igreja como único varão na família. Casou-se então por segunda vez com Maria de Milão, sendo pai de Francesco, Marina, e Lucrezia Bórgia, Baptizada em homenagem à irmã. Morto em 1517.

Filhos de Lucrezia;

O seu primeiro filho com Afonso, Hércules d'Este, de aparência física idêntica à do pai, sucedeu-o como Duque de Ferrara em 1534; foi pai de cinco filhos, e morreu em 1559. Hipólito tornou-se um alto Religioso, e morreu em 1572, como um verdadeiro Cardeal Bórgia; com uma boa fortuna, e muitos filhos chorando a sua morte; Francisco, filho de Lucrezia, foi Marquês de Massolambarda e pai de dois filhos, morreu em 1578, os três, sem dúvidas, eram muito mais Bórgia do que d´Este. Alexandre viveu apenas por dois anos. Eleonora herdou a beleza da mãe, assim como o fascínio que causava nos Poetas. Apesar disso, tornou-se uma Freira por ordens do seu pai, e morreu como uma Abadessa virtuosa em 1575. E Isabel Maria, a menina cujo parto causou a morte da mãe, seguiu a mãe e morreu semanas depois.

Giovanni Bórgia, o Infante Romano, teve a Paternidade reconhecida tanto por Alexandre VI como por Cesare em duas bulas Papais separadas, mas houve boatos de que era filho de Lucrezia e Perotto. A criança (identificada na vida adulta como meio-irmão de Lucrezia) foi provavelmente o resultado de uma relação entre Rodrigo Bórgia  e uma amante desconhecida e não foi filho de Lucrezia.
(Fim...)
Séparateur

sexta-feira, 24 de maio de 2013

A Verdadeira Historia dos Borgias 1...

Séparateur
Está ainda a ser transmitida a 3ªTemporada da Serie "Os Borgias",uma Serie Historica que gosto imenso e onde tudo o que está a ser narrado na Historia é verdade,mesmo o incesto chocante(para algumas pessoas...)entre os 2 irmãos Cesare e Lucrezia Borgia.Alguns Historiadores afirmam que foram boatos que os inimigos dos Borgia levantaram,outros afirmam que foi verdade...
Depois de ter lido,imensos livros sobre os Borgia(especialmente de Rodrigo,Cesare e Lucrezia...Para mim,os mais fascinantes da Familia!!!), acredito que sim,que foi verdade,pois estes irmãos eram increvelmente proximos,estilo Almas Gemeas e Cesare,algumas vezes para proteger a irmã e outras vezes movido pelo ciume,matou mesmo,para defender a irmã,incluindo,o seu irmão Giovanni,o 1º marido de Lucrezia e o 2º...
Séparateur
Mas para não antecipar a historia,começamos pelo inicio;

Os Borgia;

Os Bórgia ou Borja foram uma família nobre Espanhola-Italiana que se tornou proeminente durante o Renascimento.
Tornaram-se proeminentes nos assuntos eclesiásticos e políticos nos séculos XV e XVI, produzindo três papas, Alfons de Borja, que governou como Papa Calisto III, durante os anos 1455-1458, Rodrigo Lanzol Borgia, como Papa Alexandre VI, durante os anos 1492-1503, e Giovanni Battista Pamphilj (descendente de Rodrigo Borgia), que governou como Papa Inocêncio X, durante os anos 1644-1655. 
Especialmente durante o Reinado de Alexandre VI, foram acusados de vários crimes, incluindo adultério, simonia, roubo, estupro, corrupção, incesto e assassinato(especialmente homicídio por envenenamento por arsenico ).


Membros da Familia;

Alfonso de Borja (Papa Calixto III)
Francisco de Borja y Navarro de Alpicat
São Francisco de Borja e Aragão
Gaspar de Borja y Velasco
Rodrigo Bórgia (Papa Alexandre VI)
Giovanni Borgia (1474)
Cesare Borgia
Lucrezia Borgia
Gioffre Borgia
Giovanni Borgia (1498)


A chegada de Rodrigo Borgia ao Papado levou a família a participar de uma série de intrigas e disputas entre os vários pequenos estados em que a Itália estava dividida na época. Os Sforza, Orsini, Farnese,foram aliados ou inimigos dos Bórgias.
Os Bórgias passaram para a história graças à sua inteligência para sair de situações que pareciam perdidas. Com a morte de Alexandre VI em 1503 (provavelmente envenenado por quem mais tarde se tornou o seu Sucessor no trono de Roma), seu filho Cesare (que inspirou o Florentino Nicolau Maquiavel,que o admirava, a escrever "O Príncipe"), teve de fugir de Roma e faleceu em Viana, Navarra, lutando ao lado de seu cunhado João III de Navarra, Rei de Navarra. Por seu lado, Lucrezia Borgia em Ferrara,foi tutora das artes,vivendo uma vida calma,até falecer de parto.

Séparateur



Rodrigo Borgia;

Alexandre VI, nascido Rodrigo de Borja, italianizado em Roderico Borgia (Xàtiva, 1 de Janeiro de 1431 — Roma, 18 de Agosto de 1503) foi o 214º papa da Igreja Católica, de 10 de Agosto 1492 até a data da sua morte . Natural de Valência , estudou na Universidade de Bolonha.
O nome de sua família foi elevado ao Vaticano com a eleição do seu tio materno, Afonso Bórgia, como Papa Calisto III, por quem foi feito Cardeal. Foi sucessivamente elevado a cargos de mais qualidade;Bispo, Cardeal e Vice-Chanceler da Igreja.Tornou-se um grande diplomata após servir à Cúria Romana durante cinco Pontificados, adquiriu experiência administrativa, influência e riqueza, mas não grande poder.

Os seus pais eram Jofre Lançol e Isabella Bórgia, irmã do Cardeal Alfonso Borja . Seu relacionamento com a Dama Romana Vannozza dei Cattanei começou em 1470, e eles tiveram quatro filhos;Giovanni( Juan), Cesare, Lucrezia e Geoffre(Jofre), nascidos, respectivamente, em 1474, 1476, 1480 e 14821 . Outros filhos foram Girolama, casada com um Nobre Espanhol, e Pedro Luis, que se tornou Duque de Gandia, mas morreu logo, passando o Ducado para Giovanni, o mais velho dos filhos de Vanozza . Um de seus filhos casou-se com a filha do Rei Alfonso II de Nápoles, mas a aliança ficou em perigo pelas ambições de Carlos VIII da França, que reivindicava o Trono de Nápoles.

Conclave de 1492;

Rodrigo Bórgia usou a sua fortuna e promessas para comprar a maior parte dos votos dos vinte e três Cardeais quando se realizou o Conclave para definir a Sucessão do Papa Inocêncio VIII. No Conclave houve três Candidatos; ele próprio, Ascanio Sforza e Giuliano della Rovere. Reuniram-se em Agosto de 1492, na Capela apelidada Capela Sistina, por ter sido construída pelo Papa Sisto IV, adornada com obras-primas de Botticelli, Pinturicchio, Ghirlandaio e Michelangelo. A eleição foi definida na madrugada de 10 para 11 de Agosto. A Coroação deu-se em 26 de Agosto, Rodrigo Bórgia tinha 60 anos, adoptou o nome de Alexandre VI (em Latim, Alexander VI), e teve a infeliz distinção de ser considerado, por muitos, o pior de todos os Papas.

Papado; 

O Papado de Alexandre VI começou tranquilo, mas não tardou que se manifestasse a sua ganância em Sacrificar todos os interesses em favor da Família. Nomeou Cardeais o seu filho de 16 anos, Cesare Bórgia, os seus sobrinhos Francisco Borgia e Juan Lanzol de Bórgia de Romaní, um primo deste último Juan Castellar y de Borgia (Giovanni), os seus sobrinhos-neto Juan de Borja Llançol de Romaní, o menor, Pedro Luis de Borja Llançol de Romaní e Francisco Lloris y de Borja e o cunhado do seu filho Cesare, Amanieu d'Albret.

O cardeal Della Rovere acusou-o de simonia, e trouxe o Rei Francês Carlos VIII para depô-lo, mas Bórgia fez um acordo, permitindo o trânsito dos Exércitos Franceses, e foi reconhecido como Papa pelo Rei.Enquanto isso, ele negociou com o Imperador Alemão Maximiliano I e os Governantes da Espanha e Veneza numa Aliança, que derrotaram os Franceses.
Um de seus acusadores era o Frei Dominicano Girolamo Savonarola, que havia conseguido reformar Florença através de muita coragem e uma brilhante oratória.Rodrigo conteve-se, diante dos ataques de Savonarola, até que, enfraquecido por ter repetidamente quebrado o seu voto de obediência ao Chefe da Igreja, Savonarola foi Excomungado. No entanto,continuou os seus ataques sucessivos e a ministrar a Comunhão,e ofereceu-se para caminhar nas chamas  afim de,provar que ele tinha a palavra de Deus. Um outro Frei Dominicano ofereceu-se para ir junto, porém quando quando ía acontecer  a ocasião, e a multidão estava ansiosa para assistir a um Milagre ou uma Tragédia, o Frei recusou-se a entrar nas chamas, e a influência de Savonarola diminuiu.

Um dos maiores desgostos  de Rodrigo,foi quando seu filho, o Duque de Gandia, foi assassinado, cujas suspeitas recaiem sobre o filho seguinte Cesare Bórgia; quando seu corpo, mutilado, foi encontrado no Rio Tibre, Papa, entristecido, clamou que isto era uma Punição por todos os seus Pecados. Após a morte do filho, Alexandre convocou os Cardeais para reformar a Igreja e acabar com o nepotismo,mas as reformas não foram adiante.
Seu Pontificado é um paradigma de corrupção Papal ocasionada pela invasão secular dentro da Igreja, mais tarde esse facto foi tido como desculpa para a separação dos Protestantes. Alexandre VI foi, sem dúvida, um Papa Corrupto, pouco dado às Virtudes Cristãs. 
 Durante o seu Pontificado, foram decretadas as Bulas Alexandrinas, tratados responsáveis pela divisão das possessões Portuguesas e Espanholas no Mundo. Dentre eles, vale destacar as bulas "Inter Coetera", "Eximiae Devotionis" e "Dudum Siquidem". As negociações Ibéricas iriam desembocar no famoso Tratado de Tordesilhas que confirmaria a divisão do Mundo entre Portugal e Espanha e seria contestado por outros Monarcas, dos quais o mais famoso foi Francisco I de Angoulême, Rei da França.

Morte;

Durante o Verão de 1503, Alexandre e Cesare ficaram gravemente doentes; o filho conseguiu se recuperar, mas o pai morreu,devido a uma epidemia de febre durante esse Verão em Roma.
Seu Funeral foi breve e sem grandes comemorações, tendo sido Sepultado com a seguinte epígrafe em seu Túmulo na Espanha; 

"Aqui Jaz Alexandre VI, que foi Papa". 

O seu Túmulo encontra-se na "Igreja de Santa Maria in Monserrato".
Séparateur
Giovanni Borgia;

Giovanni Bórgia,( Juan de Borja y Cattanei ), II Duque de Gandía (1474-1497) foi filho do Papa Alexandre VI e irmão de Cesare Bórgia,Lucrécia Bórgia e Gioffre Bórgia. Giovanni,  era o mais velho dos quatro do filhos do Papa com Vannozza dei Cattanei.
 Devido a uma série de bulas Papais emitidas após seu assassinato, não fica claro se Giovanni nasceu em 1476 ou 1477, mas muitos acreditam que ele era o filho mais velho ao invés de Cesare.
Giovanni Borgia nasceu provavelmente em Roma quando Rodrigo era então Cardeal, e a sua amante Vannozza dei Cattanei,era ainda  casada com Domenico da Rignano. 
Giovanni casou-se com Maria Enriquez de Luna, a noiva Espanhola do seu falecido meio-irmão mais velho, Pedro Luis, em Setembro de 1493. Ele foi feito II Duque de Gandía, Duque de Sessa, Grande Condestável de Nápoles, Governador de São Pedro, e Gonfaloneiro e Capitão-geral da Igreja.
Ele foi assassinado na noite de 14 de Junho de 1497 próximo do que posteriormente se tornou a Piazza della Giudecca no Gueto Romano. Cesare Bórgia é suspeito de ter cometido o assassinato. ,no entanto, há um outro rumor que o seu irmão mais novo Gioffre Bórgia o assassinou devido á relação de Giovanni com Sancha de Aragão, a esposa de Gioffre.O seu corpo ricamente vestido foi retirado do Rio Tibre, com 30 Ducados de ouro intactos na bolsa no seu cinto,por isso não foi morto por roubo. 
Giovanni e Maria tiveram dois filhos; Juan de Borja y Enríquez (conhecido como Juan Borgia) , que se tornou o III Duque de Gandía, e Francisca de Jesus Borja, que se tornou uma Freira de um Convento em Valladolid. Este segundo Juan foi o pai de São Francisco de Borja.
Séparateur
Cesare Borgia;

Cesare Bórgia, Duque de Valentinois, (Roma, 13 de setembro de 1475 - Viana, 12 de Março de 1507), Cesare Borgia, Duca Valentino em Italiano. Foi  Cardeal e Nobre Italiano da Renascença Europeia. Filho de Rodrigo Bórgia(Papa Alexandre VI ), com Vannozza dei Cattanei1 . Entre os seus irmãos estão Giovanni Bórgia,Duque de Gandia,(também conhecido como Juan), Lucrécia Bórgia e também Gioffre Bórgia (ou Jofre). Além dos quatro mais conhecidos filhos de Rodrigo, existiram também meios-irmãos de mães desconhecidas, e entre eles está Pedro Luís de Borja e Girolama Borja.
Após o assassinato do seu irmão Giovanni(pensa-se que por ele...), Cesare abandona a carreira Religiosa para tornar-se um homemde armas,como sempre desejou(carreira que tinha sido oferecida,por seu pai,a Giovanni), onde é nomeado Duque de Valentinois. 
Cesare casou-se,mais tarde, com a Francesa Charlotte de Albret, e teve com ela uma filha, Luisa Bórgia. Conviveu imenso,com figuras como Leonardo da Vinci e Nicolau Maquiavel. Seu poder e influência enfraqueceram após a morte do seu pai, o Papa Alexandre VI, e a substituição do mesmo pelo Papa Júlio II, inimigo dos Bórgias. Cesare chegou a ser preso, mas escapou da prisão, e foi morto em Batalha, na cidade de Viana, na Espanha.

A Vida de Cesare Borgia;

Nascido em Roma, em Setembro de 1475, como a maioria dos segundos filhos da Nobreza Italiana, foi educado desde os seus primeiros anos para se tornar um homem da Igreja. Indubitavelmente seu carácter não era de um Religioso.Como o pai, Cesare era um sensual, e as suas ligações Femininas são amplamente reconhecidas desde a sua adolescência. Era muito proximo da irmã,Lucrezia,como duas almas gemeas e foi seu amante.Quanto às suas relações com os outros irmãos, é sabido que Cesare não era muito amigável com Giovanni,detestavam-se,se não mesmo,odiavam-se.
Abandona a carreira eclesiástica (para a qual tinha pouco gosto), utilizando como justificativa o assassinato do irmão Giovanni, o qual deveria substituir nos assuntos temporais (Giovanni era Capitão das forças Militares do Papado). 
Feito Duque Valentino em 1498 pelo Rei Luís XII de França, que queria um Papa aliado, Cesare Bórgia tornou-se modelo para o livro "O Príncipe", de Maquiavel , com quem conviveu durante um tempo. Calculista e violento, tentou, com o apoio do pai, constituir um principado na Romanha em 1501 .Leonardo da Vinci,trabalhou para ele como Engenheiro e Arquitecto. Fornecia ao mesmo tempo,passe ilimitado para inspecionar e orientar toda a construção em andamento e planejadas no seu domínio.
No dia 31 de Dezembro de 1502, para se livrar de seus inimigos (entre eles, Oliverotto de Fermo), convidou-os para o seu palácio de Senigallia, depois aprisionou-os e assassinou-os. Após a morte do seu pai, foi encarcerado sucessivamente pelo Papa Júlio II e pelo Rei de Castela . Escapando daquele Reino, serviu como Soldado no exército de Navarra (que tinha por Rei o seu cunhado), e morreu aos 31, no ano de 1507, em Viana, na Espanha . Encontra-se sepultado na "Iglesia de Santa María de Viana", Viana,Navarra,Espanha.


(Continua...)
Séparateur

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Os Misteriosos Sumérios...

Ainda continua-se a não se conhecer muito sobre esta Civilização e os primeiros registros remontam mais de 3.000 anos antes de nossa era,mas há quem afirme que talvez sejam mais Antigos do que se pensa...A sua Origem ainda permanece Desconhecida.Apenas sabemos  que os Sumérios possuíam uma Cultura superior, plenamente desenvolvida, a qual impunham aos Semitas, em parte ainda Bárbaros.
Procuravam os seus Deuses nos cumes da Montanhas, ou, quando não haviam montanhas onde se encontravam, faziam aterros formando morros artificiais.

Conhecimentos e Tecnologia;

A Astronomia Suméria era extremamente avançada. Os seus Observatórios eram capazes de obter cálculos do ciclo Lunar que diferiam somente 0.4 segundos dos nossos cálculos actuais.Incrivel,não?! Foi encontrado também, na colina de Kuyundjick (a antiga Nínive), um cálculo com impressionantes 15 casas, com resultado final igual a 195.955.200.000.000. Os Gregos, no auge de seu saber, não se atreveram a ultrapassar o número 10.000, considerando tudo o que passasse deste valor como infinito.
Na cidade de Nipur, a 150 Km de Bagdad, foi encontrada uma Biblioteca Sumeriana inteira, contendo cerca de 60.000 placas de barro com inscrições Cuneiformes.
 Tábulas de argila continham informações preciosas sobre o Sistema Solar. O mais impressionante são os dados sobre Plutão – Planeta só (re)descoberto em 1930!!! Eles possuíam conhecimentos sobre o tamanho, composições químicas e físicas de Plutão e afirmavam que este era na verdade um satélite de Saturno que se “desprendeu” e ganhou nova órbita. A Lua era por eles chamada de “Pote de Chumbo” e diziam que seu núcleo era uma cabaça de ferro. Durante o programa Apollo, a NASA confirmou estes dados…
Idades Avançadas;

Segundo os escritos Cuneiformes encontrados, os Sumérios conseguiram alcançar idades impressionates. Segundo esses escritos, os dez primeiros Reis Governaram, no total, 456.000 anos e os vinte e três Reis seguintes, 24.510 anos, 3 meses e 3 dias e meio – período o qual trouxe muitos aborrecimentos a estes Reis, ocasionados pela era pós-dilúvio, tempo de reconstrução geral.

O Dilúvio Segundo os Sumérios;

Narra um escrito cCuneiforme Sumério;

 “E depois veio o Dilúvio e após o Dilúvio a Realeza tornou a descer mais uma vez do céu…”

Este trecho, de uma das placas encontradas, faz parte da mais antiga descrição do Dilúvio que temos Conhecimento.
O “Noé” dos Sumerianos chamado Ziusudra, morava em Shuruppak e lá construiu  a sua arca. 
Os Sumérios foram edificando ao longo dos séculos Torres, Piramides e casas com todo o conforto para os seus “Deuses” a quem ofereciam Sacrifícios enquanto aguardavam o regresso – e a cada cem anos eles retornavam sempre.

Estas Evidências Sumerianas só se podem explicar,através da vinda de Extraterrestres,que eles consideravam como Deuses...não há outra explicação Possivel,por mais que se tente!!!
Isso explicaria a fantástica vida dos Reis Sumérios,a sua incrível Tecnologia e a sua Civilização,nascida do nada,numa época ainda bem rudimentar Humana....

Na tradução das placas de barro Sumérias encontradas, diz-se que a Terra teve origem Extraterrestre, através da colisão de dois corpos celestes. Parte dos destroços caíram aqui e no outro Corpo Celeste chamado Nibiru.
Os Sumérios acreditavam que os seus Deuses vieram deste Planeta – “O 12º Planeta” – que completa uma volta ao Sol a cada 3.600 anos.
A sua História diz ainda que após 35 milhões de anos, Nibiru corria risco de Desaparecer totalmente, então, como a Terra era o único Planeta com condições favoráveis para a sua sobrevivência, fizeram misturas genéticas entre os primatas e a sua espécie. Esta mesma história conta que estes eram seres Humanóides gigantes que, com o passar do tempo, misturaram-se com os Humanos, gerando assim novas raças e etnias; os “Filhos dos Deuses”.

Investigando a Mitologia Sumeriana e algumas plaquetas e quadros Acádicos,vemos que os“Deuses” não tinham forma Humana, e o símbolo de cada um dos Deuses era invariavelmente ligado a uma Estrela. Nos quadros Acádicos, as Estrelas estão reproduzidas assim como desenharíamos hoje,mas,estas Estrelas são rodeadas de Planetas de diversos tamanhos. 
Os “Deuses” Sumerianos;

Os Deuses Sumerianos correspondiam a Estrelas e o seu Deus supremo, Marduk (Marte), segundo o que se sabe, teve construída em sua homenagem, uma estátua em ouro puro, de oitocentos talentos de peso(correspondia a uma imagem de 24 toneladas de ouro puro!!!!).

Ninurta (Sírio) era o Juiz do Universo. Este pronunciava sentenças sobre os Mortais. Há placas com inscrições dirigidas à Marte, Sírio e às Plêiades.

As suas descrições sobre as armas utilizadas por estes Deuses para combater os inimigos, nos fazem pensar na Bomba Atomica e foram encontrados desenhos e  uma maquete de uma residência assemelhando-se a um Abrigo Anti-Atomico pré-fabricado, redondo e tosco e com uma única entrada.

Curiosidades Encontradas nas Terras do Sumérios;

- Em Geoy Tepe, desenhos espirais, uma raridade há 6 mil anos;
- Em Gar Kobeh, uma indústria de pederneiras, a qual se atribuem 4 mil anos de idade;
- Em Baradostian, achados idênticos com idade provável de 30 mil anos;
- Em Tepe Asiab, figuras, túmulos e instrumentos de pedra com data anterior a 13 mil anos passados;
- No mesmo local foram encontrados excrementos petrificados de origem desconhecida (não humana);
- Em Karim Schair encontraram-se buris e outras ferramentas;
- Em Barda Balka, foram desenterradas ferramentas e armas de pederneira;
- Na caverna de Schandiar foram encontrados esqueletos de homens adultos e de uma criança, que datam cerca de 47 mil anos, conforme avaliação realizada pelo processo de C-14.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Sacrificios Humanos na Antiga Mesopotâmia?


Uma nova análise dos crânios do cemitério real de Ur, descoberto no Iraque há quase um século, parece sustentar sacrifícios humanos associados a enterros da Nobreza da antiga Mesopotâmia, afirmam os Arqueólogos.
Os Servos do Palácio,não tomavam veneno,como parte do ritual de enterro real,para morrer serenamente,mas sim,pelo que se verificou, um instrumento pontiagudo, talvez uma lança, furava as suas cabeças.
Arqueólogos da Universidade da Pensilvânia chegaram a esta conclusão após fazerem as primeiras tomografias de dois crânios do cemitério de 4,5 mil anos. O cemitério, com 16 Tumbas grandiosas e ricas em ouro e jóias, foi Descoberto na década de 1920,e foi uma sensação na Arqueologia do século 20,revelando o esplendor da Civilização Mesopotâmica.
A recuperação de cerca de dois mil corpos atestou a prática do Sacrifício Humano em larga escala. No momento do falecimento de um Rei ou Rainha, ou mesmo antes, membros da sua Corte – Criadas, Guerreiros e outros – também eram mortos. Seus corpos costumavam ser cuidadosamente arrumados, as mulheres com adornos na cabeça, os Guerreiros com armas ao seu lado.
C. Leonard Woolley, o Arqueólogo Inglês que dirigiu as escavações, uma colaboração do Museu Penn com o "British Museum", concluiu que os servos desciam até as Câmaras Mortuárias, bebiam veneno e se deitavam para morrer. A  sua hipótese gerou polemica.
Entre os muitos restos mortais, poucos crânios estavam preservados, os quais foram esmagados em fragmentos – não na morte, mas pelo peso da terra ao longo de séculos pressionando os crânios até que ficassem achatados,o que originou esforços,fracassados,anteriores de reconstituí-los.

Ao planejar uma nova exposição de artefactos de Ur, no "Museu Penn de Arqueologia e Antropologia", Richard L. Zettler, corador e especialista em Arqueologia Mesopotâmica, conta que os Pesquisadores fizeram tomografias dos ossos dos crânios de uma mulher e de um homem. Com isso, obtiveram imagens em três dimensões de cada fragmento e,apenas assim, determinaram onde as peças se encaixavam. Os Pesquisadores, liderados por Janet M. Monge, uma Antropóloga física do Museu, usaram técnicas forenses para chegar à causa provável de morte em ambos os casos.

Em ambos os crânios,havia dois furos redondos ,cada um com cerca de 2,5 cm de diâmetro. Porém, a prova mais contundente, afirmou Monge em entrevista, foram as rachaduras irradiando a partir dos furos,que teriam sido feitos numa pessoa viva,os buracos produziriam o padrão de fracturas ao longo das linhas de tensão. Os ossos mais quebradiços de uma pessoa há muito tempo morta se estilhaçariam como vidro, explicou ela. Monge supôs que os furos foram feitos por um instrumento penetrante e que a morte ;“pelo trauma da força da ponta era quase imediata”.

Extermínios ritualísticos associados à morte Real, segundo os Arqueólogos, eram praticados por muitas outras Culturas Antigas, o que levanta a questão; por que alguém, sabendo do seu provável Destino, escolheria uma vida como servo da Corte?

“Era quase um assassinato em massa e é algo difícil para nós entendermos”, disse Monge. “Mas na cultura aquelas eram posições de grande honra, e você vivia bem na Corte, portanto havia um equilíbrio. Além disso, a partida para o outro Mundo não era necessariamente algo que eles temiam.”

Zettler disse que a nova Pesquisa também resultou em evidências de que os corpos de algumas vítimas haviam sido aquecidos – assados, não queimados – e tratados com um componente de Mercúrio. Era um processo primitivo de Mumificação, não tão avançado quanto as técnicas contemporâneas no Egipto. 

“Isso era apenas para impedir que os corpos se decompusessem durante as extensas Cerimonias funerárias”, disse ele.

Zettler disse que o sítio Arqueológico da antiga Cidade-Estado de Ur, próxima à actual Nassíria no Iraque, havia sido poupada nos recentes conflitos que causaram danos e saques a outras Antigas escavações. Ur está protegida pelo perímetro de uma base aérea recentemente devolvida aos Iraquianos.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Mais Alguns Artigos Escritos no Schvoong...

Eis Aqui Mais Alguns Links de Artigos Meus no Schvoong...
Para Lê-los na Integra,Basta Clicar no Titulo de Cada Artigo e Logo,Será Conduzido ao Artigo...Boas Leituras!!

O Mundo começou a tomar conhecimento dos "Círculos Ingleses" a partir da década de 80, apesar destes círculos estarem aparecendo há séculos. Os famosos "Círculos Ingleses", os quais são chamados de círculos por força do hábito, têm sido documentados desde o século XVI...

A bailarina holandesa pode não ter sido uma espia. Muitos acreditam que Mata Hari”Olho do Dia”(em malaio ) vendeu segredos dos franceses, durante a 1ªGuerra Mundial, no qual resultou na sua execução.Seu verdadeiro nome era Margaretha Geertruida Zelle, nascida a 7 de Agosto no ano de 1876 em Leeuwarden(Holanda) . Mata Hari era filha de um empresário com uma descendente de javaneses...

Uma colónia inglesa de mais 100 homens, mulheres e crianças, fundada por Sir Walter Raleigh em 1587 numa ilha à entrada do Estreito de Albemarle, na Carolina do Norte, desapareceu no espaço de três anos – deixando apenas um indício misterioso quanto ao seu destino...

James Byron Dean sofreu um acidente no seu Porsche 550 quando ía para uma corrida na cidade de Salina. James Dean havia decidido levar o carro sobre uma plataforma até o local da corrida. Mas mudou de ideia,e quis sentir como o carro se comportava na estrada. Seus amigos já o haviam advertido sobre o perigo que iria correr, ao dirigir uma máquina de grande potência...

Quando Salomão ascendeu ao trono, Israel tinha tudo para se tornar a mais poderosa nação do Oriente Próximo. O Egipto e a Babilónia, as maiores potências dessa época,encontravam-se debilitadas devido a problemas internos e políticos. As pequenas nações vizinhas não apresentavam grandes problemas devido às acções de Saul e Davi. Toda esta situação era muito favorável aos judeus e Salomão aproveitou esta oportunidade...

A origem da palavra " Viking " é um tanto incerta. A raiz da palavra germânica vik ou wik está relacionada a mercados, é o sufixo normalmente utilizado para referir-se a " cidade mercadora ", da mesma forma que burg significa " lugar fortificado." A terra natal dos Vikings era a Noruega, Suécia e a Dinamarca... 

A decadência do Império Romano do Ocidente foi acelerada pela invasão de povos bárbaros. “ Bárbaros ” era a denominação que os romanos davam áqueles que viviam fora das fronteiras do Império e não falavam o latim. 
Entre os povos bárbaros, os germanos foram os mais significativos para a formação da Europa Feudal. A sua organização política era bastante simples...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Varas,Cotovelos,Braços e Pés...


Todas são unidades de medida de Comprimento e uma vez que optámos por adoptar o sistema métrico esquecemos os seus valores e proveniência. E que, apesar de alguns deles serem usados á séculos e alguns ainda são usados ​​em muitas partes do Mundo.Assim,ajudados pelo Homem de Vitruvio, o famoso estudo de proporções Humanas de Leonardo da Vinci,vamos relembrá-los.


Temos o Braço(Vara) que pode ir desde a ponta dos dedos até á Axila (Flamenca 69 cm) ou alargar-se desde o cotovelo do braço oposto (137 cm) ,a Vara Castellana,a mais utilizada na Península por um longo tempo, 83 cm.

A Jarda(Yarda)é desde as pontas dos dedos até ao seu peito,91 cm.

O Cotovelo(Codo) é desde a ponta dos dedos até ao cotovelo e varia muito dependendo das zonas e épocas. Ele varia de 47 cm a 67 cm.

O Pulso(Cuarta) a partir da ponta do polegar até ao dedo mindinho,23 cm.

Peito(Braza) é o comprimento dos braços estendidos,1,67 m a 1,82 m,depende de cada pessoa.

Havia os Palmos com os dedos juntos, 10 cms e por isso, 18 Palmos eram um Braço.

E, finalmente, o equivalente as Pés(Pies), 30 cm (6 pés = 1 Braço).

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Sabe o Que Significa;Wasichu...?


Wasichu é uma palavra da língua dos Sioux Lakota,um dos Povos Indígenas da América do Norte, e significa duas coisas;

"Nenhum índio" e "Aquele que leva a melhor carne para si mesmo."

É desta forma,que o Povo Lakota chama ao Homem branco e eu tenho que concordar com a sua Visão do Homem Branco.Pois logo que chegaram ao Continente Americano,os Indigenas nã mais tiveram o seu lugar,a sua cultura e  mesmo o seu Povo...Quantas Tribos teriam sido irradicadas do Mapa?!

terça-feira, 14 de maio de 2013

O Rei Alarico,Inimigo de Roma...e o General Estilicão...


"Alhareiks" que é como se pronuncia o seu nome em Gótico,  Nasceu em 370 AD , nas Fronteiras da Dacia (Roménia), numa Ilha conhecida por  Peuker, a Maior Ilha do Delta do Danúbio.
Filho de Rocesthes e neto de Aorico,foi o Sucessor de uma Familia de Guerreiros Godos,os Baltingos fundada pelo Lendario Gondebaudo Baltha (Em Gotico,significa o "Audaz"), cujo mérito reside em ter conduzido os Godos desde o Báltico,até ás Fronteiras do Império.
Alarico cresceu no Interior das Fronteiras Imperiais.Após o grande Desastre de Adrianópolis em 378 uma amarga derrota que matou muitos Legionários Romanos e o proprio Imperador Valente,os Godos tinham Permissão Imperial para estabelecer-se como "Foederati" na Província de Mesia (entre Sérvia e a Bulgária, aproximadamente). jovem Alarico reuniu tropas Godas entre 387 e 395 que actuam como Legiões auxiliares contra outros Bárbaros.
Tão ambicioso e inteligente era,que com a morte do Imperador Hispanico Teodósio I, Viu uma oportunidade de tornar-se Rei por seu proprio Povo,ante a falta de controle e Conhecimento dos 2 Sucessores do Imperador,seus Filhos Honorio e  Arcádio.O Imperador Teodósio realizou o plano de Diocleciano em dividir o Estado em  Dois,entre os seus Filhos.
O Primeiro foi como Augusto do Ocidente, com apenas onze anos de idade, enquanto o segundo se instalou em Constantinopla, como Augusto do Império do Oriente. Inconscientemente,com a reforma de Teodósio com e a Intervenção de Alarico levou ao Colapso  do Mundo Antigo.
Roma estava passando um  momentos mais complicados do Império.
Teodosio que foi condenado por ter fechado os Templos Pagãos ,estabelecendo o Cristianismo como religião do Estado conseguiu que Roma se tornasse um Fantasma triste do Passado, da Cidade que outrora, dominara o Mundo.
Diante de tanta Fraqueza óbvia, Alarico decidiu tomar uma atitude em 396. Invadiu a Macedonia, Trácia e Beócia,arrasando Cidades como Corinto e Esparta,chegou a desafiar a Corte de Constantinopla
"Houve apenas um Homem que pôde detê-lo; Flávius Stilicho, conhecido como Estilicão, um grande General de Origem Vandalo, actuando como Capitão General do incompetente Honorio"

Estilicão derrotou-o Primeiro e definitivamente,em "Pollentia Verona" (agora Pollenzo) em 402 de Abril . Este delicado equilíbrio foi quebrado em 406.Quando Estilicão caiu em  desgraça na Corte de Honorio, provavelmente,suspeito de organizar o Assassinato  de Rufino,Prefeito Pretoriano de Constantinopla, que dominou o fraco Arcadio,também.
Honório ordenou a sua Execução influenciado pelo seus Conselheiros e  Alaric vendo uma situação precária no Ocidente com o desaparecimento da unica Pessoa que o poderia travar, decidiu atacar  Honorio, que se refugiou na pantanosa Cidade de Ravenna, abrindo caminho para agilizar hordas Góticas nas Portas de Roma. Durante quase três anos Alarico sitiou a Cidade, o Senado estava pronto a pagar um Alto Preço Pela Salvação da Cidade,mas o Imperador escondido impediu a  Negociação de ser realizada.

Em 24 de Agosto de 410  Alarico entrou em Roma,com os seus Homens pela "Porta Salaria", parece que com a conivência de alguns Escravos.
Deu-se  Saque da Cidade e a Captura como Refem da propria Irmã do Imperador, Gala Placídia.
O Rei Visigodo Grãos tomou caminho para Regio ,mas alcançou-o em Cosentia (Cosenza, Calábria), uns meses mais tarde,com apenas 35 anos de Idade.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Pequenas Curiosidades Sobre os Celtas...

750 BC to 12 BC,Celts were the most powerful people in central & northern Europe.Wave after wave,they spread outwards,taking over France,Belgium,& crossing to Britain.There were many tribes of Celts,speaking a vaguely common language.Celt comes from the Greek,Keltoi,which means barbarians & is properly pronounced as "Kelt". Celt is a term NOT used until the 18th century.The Romans called these people Britons.The Celtic Iron Age ended AD43 (43 years after Jesus was born)the Romans invaded Britain
Desde 750 aC a 12 aC, os Celtas eram o Povo mais poderoso da Europe Central e Norte.Segundo historiadores, a terra de origem dos Celtas era uma região da Áustria, perto do Sul da Alemanha.
Onda após onda, eles se espalharam-se para fora,tomando a França, a Bélgica, e cruzando a Bretanha.
Houve muitas Tribos Celtas, falando uma língua vagamente comum. 
Celta vem do grego," Keltoi",que significa Bárbaros e provavelmente se pronuncia como "Kelt". Celtas é um termo não utilizado até o dia 18 sec.dos Romanos.Os Romanos chamavam essas pessoas  de Bretões.
A Idade do Ferro Celta terminou em 43 AD (43 anos depois que Jesus nasceu)...
Guerreiros Celtas
Escudo e Armas Celtas...
A bravura dos Celtas em batalha é lendária. Eles desprezavam com freqüência as armaduras de batalha, indo para o combate de corpo nu. Os homens e as mulheres na sociedade Celta eram iguais; a igualdade de cargos e desempenhos eram considerados iguais em termos de sexos. As mulheres tinham uma condição social igual á dos homens sendo muitas vezes excelentes guerreiras, mercadoras e governantes,muito ao estilo de Boudica,que já aqui falei...
Os Celtas transmitiram a sua cultura oralmente, nunca escrevendo a sua história ou os seus fatos. Isto explica a extrema falta de conhecimento quanto aos seus contatos com as civilizações clássicas de Grécia e Roma. Os Celtas eram na generalidade bem instruídos, particularmente no que diz respeito á religião, filosofia, geografia e astronomia.
Para a Cultura Celta o ano era dividido em quatro períodos de três Meses em cujo início de cada um havia uma grande cerimônia:

Imbolc - celebrado em 1 de Fevereiro, é associado à Deusa Brigit, a Mãe-Deusa protectora da Mulher e do Nascimento das Crianças.

Beltane - celebrada em 1 de Maio. (também chamado de Beltine, Beltain, Beal-tine, Beltan, Bel-tien e Beltein) Significa "Brilho do Fogo". Esta Cerimonia,é marcada por milhares de fogueiras.

Lughnasadh - (também conhecido como Lammas), dedicado ao Deus lugh, celebrado em 1 de Agosto.

Samhain - a mais importante das Cerimonias, celebrada em 1 de Novembro. Hoje associada com o Hallows Day, celebrado na noite anterior ao Halloween.

Basicamente a doutrina Céltica enfatizava a Terra e a Deusa Mãe enquanto que os Druidas mencionavam diversos Deuses ligados às formas de expressão da Natureza; eles enfatizavam igualmente o Mar e o Céu e acreditavam na Imortalidade da Alma, que chegava ao aperfeiçoamento através das Reencarnações.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Mais Alguns Artigos do Meu Schvoong...

Cliquem no Titulo Para Serem Dirigidos Para a Pagina 
e Poderem Ler os Textos no Integral...
Boas Leituras!!!


Chichén Itza é uma cidade arqueológica Maia localizada no estado de Yucatán. Chichén Itza, a mais famosa Cidade Templo Maia, funcionou como centro político e económico. O nome Chichén-Itza tem raiz Maia e significa "na beirada do poço do povo Itza"... 


O Peru abriga um dos maiores Mistérios do Mundo: as Famosas Linhas de Nazca, situadas próximo à Costa, são desenhos geóglifos que só podem ser vistos do Alto, Observados do chão não passam de sulcos no solo macio e arenoso do Deserto,numa área conhecida por” Pampa Colorada”,tem 15 milhas de largura e corre ao longo de 37 milhas,paralela ao mar e aos Andes...


Quem somos?De onde viemos?Será que nós evoluímos mesmo dos macacos? Observando as Exposições dos Museus de História Natural, achamos que esta questão foi respondida decisivamente. Mas a pergunta está longe de ser respondida...Segundo o modelo da Evolução, o Homem e o macaco partilham um Ancestral em comum, mas a existência desse Ancestral ainda é muito contestada...


A grande maioria das pessoas desconhece que existem outras pirâmides,para além das do Egipto e as da América…mas é verdade!!Existem pirâmides semelhantes ás da Ámerica,na China.De acordo com a Lenda Chinesa, as mais de cem Pirâmides descobertas são o legado de visitantes Extraterrestres. Na virada do Século XX, dois comerciantes australianos encontravam-se numa vasta área nas Planícies de Qin Chuan, na China Central...


No final da Década de 1890 apareceram no México duas caveiras de quartzo transparente. Tratava-se de duas peças únicas no seu género, supostamente descobertas por mercenários que obtiveram as caveiras de camponeses locais, que por sua vez, roubaram de tumbas da região. Uma dessas peças é conhecida actualmente como "A Caveira de Cristal Britânica". Ao que parece, a famosa joa1heria Nova Iorquina Tiffany''s comprou uma das caveiras e depois, em 1898, o Museu Britânico adquiriu-a e ela permanece lá até hoje...


Evidências Arqueológicas levantadas põem sob suspeita a data da construção da Grande Esfinge e, como consequência, a Cronologia da Civilização Mundial. Nos anos 90 foram encontradas evidências físicas mostrando que a enigmática Esfinge, na Planície de Gizé, pode ser muito mais velha do que se pensa...


No meio de tantos mistérios que insistem em intrigar a mente humana, talvez um dos mais curiosos seja a colecção do Doutor Javier Cabrera Darquea. Trata-se de onze mil pedras, encontradas na região de Ocucaje (Peru), contendo cenas inusitadas, visto que datam de milhões de anos atrás,foram encontradas por camponeses locais e entregues ao Dr. Nelas, pode-se ver humanos convivendo com Dinossauros, o que nos levam a crer que teriam sido confeccionadas no Período Cretáceo...


Os Saxões chamavam ao grupo das pedras erectas «Stonehenge» ou «Hanging Stones» (Pedras Suspensas), enquanto os escritores medievais se lhes referem como «Dança de Gigantes». Inigo Jones, famoso arquitecto do século XVII que fez o primeiro estudo sério sobre Stonehenge, considerou-o um Templo romano. Mas William Stukeley, um estudioso de Monumentos e Franco-Mação do século XVIII, convenceu muita gente de que se tratava de um Templo construído pelos druidas britânicos...


As origens familiares de Nefertiti são pouco claras. O seu nome significa "a Bela chegou", o que levou muitos investigadores a considerarem que Nefertiti teria uma origem estrangeira, tendo sido identificada por alguns autores como Tadukhipa, uma princesa do Império Mitanni (império que existiu no que é hoje a região oriental da Turquia), filha do rei Tushratta...

Desejam Ler Mais?!Para a Semana Terão Mais Historias...
Até Lá...Tenham Um Resto de Bom Dia!!!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Spartacus,o Gladiador Que Desafiou Roma...

Acabou a Serie Televisiva Spartacus,que deixou muitos Fans desgostosos...Embora...
Spartacus foi um personagem real da Historia,que fez muitos nervos aos Poderosos Romanos,por volta de  120 a.C. -70 a.C....era de origem Trácia(Antiga Macedónia,Hoje dividida pela Grecia,Bulgaria e Turquia...,,foi capturado e feito Gladiador para prazer dos Romanos.Foi líder da mais célebre revolta de Escravos na Roma Antiga, conhecida como "Terceira Guerra Servil", "Guerra dos Escravos" ou "Guerra dos Gladiadores". Spartacus liderou, durante a revolta, um exército rebelde que contou com quase 100 mil ex-escravos!!!


De acordo com vagas referências de autores Romanos (Apiano, Floro e Plutarco), Spartacus por ter desertado de uma tropa auxiliar do Exército Romano, foi capturado e submetido à Escravidão. Devido ao seu físico, foi comprado por um Mercador a serviço do "lanista"(Palavra Etrusca,Para Aquele Que Comprava Homens e Mulheres para o Entretinamento...) , Lêntulo Batiato, e levado para a Escola de Gladiadores de Cápua, na Campânia (Itália).

Sobre Ele Dizem;

Plutarco;

 "Era um homem inteligente e culto, mais Helénico do que bárbaro" 

Floro;

 "... mercenário da Trácia, admitido no nosso Exército, soldado desertor, bandido promovido a Gladiador por sua força".

Em 73 a.C., cerca de duzentos Escravos da Escola de Batiato revoltaram-se, devido (segundo Plutarco) aos maus-tratos que recebiam do "Lanista", e armados apenas com facas de cozinha, atacaram os Guardas da Escola. Ainda segundo Plutarco, setenta e oito deles (ou apenas trinta, segundo Floro) conseguiram fugir. No caminho, depararam-se com umas carretas carregadas de armas usadas pelos Gladiadores, apoderando-se delas. Com esse armamento, repeliram a guarnição de Cápua, enviada para capturá-los.
Roma então organizou a primeira Expedição contra os revoltosos. À frente de três mil homens, o pretor romano Caio Cláudio Glabro sitia-os no seu forte, um outeiro de subida penosa e estreita rodeado de altos rochedos talhados a pique, tendo no cimo grande quantidade de videiras selvagens. Sendo a subida guardada por Cláudio, os sitiados cortaram os rebentos mais longos e fortes de tais videiras, fizeram com eles compridas escadas que roçavam a planície, e, amarrando-as no alto, por elas desceram todos calmamente. Apenas um deles ficou em cima, para jogar-lhes as armas, findo o que também se pôs a salvo. Os Romanos não suspeitaram da operação; rodeado o outeiro, os sitiados atacaram-nos pela retaguarda, afugentando-os e tomando-lhes o acampamento. Muitos pastores que guardavam os seus rebanhos juntaram-se aos fugitivos, sendo uns armados por eles e outros mandados a espiar.

Nessa ocasião, Roma enviou o Comandante Públio Varínio a fim de capturá-los.Num primeiro combate derrotaram o Tenente denominado Fúrio, juntamente com dois mil Homens e três ursos. Em seguida também derrotaram outro tenente,Cossino, que lhe haviam impingido como Conselheiro e companheiro, e com grande poder. Houve uma tentativa de aprisionar Spartacus quando este se banhava num lugar chamado Salinas, no entanto o Comandante, custosamente, conseguiu salvar-se. No entanto,Spartacus apoderou-se da sua bagagem, e, perseguindo-o tenazmente apoderou-se também do seu acampamento, tendo-lhe custado a vida de muitos dos seus Homens, dentre os quais, Cossímo. Tendo também vencido em muitos combates o próprio Pretor-Chefe, aprisionando os Sargentos que conduziam os machados à sua frente, bem como seu próprio cavalo. Todos passaram o temiam,devido á sua tenacidade,coragem e inteligência. Todavia, calculando cuidadosamente as suas forças e riquezas, e vendo que elas não podiam superar as dos Romanos, levou seu Exército para os Alpes, considerando que, uma vez transpostos, cada qual voltasse para sua terra, isto é, para a Gália,Germânia e para a Trácia. Os seus homens, porém, convencidos no seu número, e prometendo grandes realizações, não o quiseram ouvir, e recomeçaram a percorrer e a saquear toda a Península Itálica.

O Senado estava inquieto, não só pela vergonha e afronta dos seus homens ser vencidos por meros escravos, como pela apreensão e pelo perigo em que se achava toda a Península Itálica, mandou para ali os 2 Consules, como se fosse uma das mais árduas e perigosas Guerras que deveriam enfrentar. Lúcio Gélio Publícola, um dos Consules, atacando de surpresa uma Tropa de Germanos, que por altivez e desprezo, se havia separado e afastado do acampamento de Spartacus, submeteu-a toda,ao fio de espada; Lêntulo, seu companheiro, com numerosas forças sitiou Spartacus e todos os que o seguiam, atacou-os, venceu-os, e apoderou-se de toda a sua bagagem. Razão por que, avançando para os Alpes, Cássio, Pretor e Governador da Gália do subúrbio do rio Pó, enfrentou-o com um exército de dez mil homens. Travou-se um grande Combate, no qual ele foi derrotado, tendo perdido muitos Soldados e conseguido salvar-se a muito custo e às pressas. Ciente disto, o Senado declarou-se bastante descontente com os seus Consules; ordenando-lhes que não mais se envolvessem nesta luta, atribuiu todo o encargo a Marco Licínio Crasso em 71 a.C., que foi seguido por numerosos  nobres, graças à sua elevada reputação e à grande estima que lhe votavam.
Crasso é encarregado de acabar com Spartacus.
Crasso foi assentar seu acampamento na Romanha, para esperar por Spartacus, que se dirigia para ali, e mandou Múmio, um dos seus Tenentes, com duas Legiões, envolver o Inimigo pela retaguarda, ordenando segui-lo sempre no encalço, e proibindo-lhe expressamente de atacá-lo de qualquer modo. Não obstante todas estas determinações, logo que Múmio se viu na possibilidade de fazer alguma coisa, atacou-o, sendo derrotado, com perda de muitos dos seus homens. Os que conseguiram salvar-se na fuga, apenas perderam as suas armas. Crasso ficou furioso com ele; e, recolhendo os fugitivos, deu-lhes outras armas, exigindo-lhes fiadores que garantissem seu melhor serviço dali por diante, coisa que nunca fora feito antes. E, os quinhentos que estiveram nas primeiras filas, e que foram os primeiros a iniciar a fuga, ele dividiu-os em cinquenta dezenas, em cada uma das quais sorteou um,("Decimatio"Dizimação-era a pena de morte de Soldados que se amotinavam ou se mostravam Covardes nas Batalhas..).

Castigando assim os seus Soldados, Crasso lançou-os directamente contra  Spartacus, que recuou sempre e tanto que, pela Região dos Lucanianos, chegou à costa, encontrando alguns navios de Corsários cilícios no estreito de Messina. Isto animou-o a ir à Sicília; e, para enviar para lá dois mil homens, para sublevar escravos de lá. Mas Crasso tomou medidas para o impedir de enviar homens para a para a Sicília a fim de amotinar os Escravos da Ilha. Razão por que, lançando-se inesperadamente longe da praia, ele foi assentar seu acampamento na Península dos Régios, onde Crasso foi encontrá-lo; e, vendo que a Natureza do lugar mostrava-lhe como devia agir, decidiu cercar de muralhas o Istmo da Península, dando assim ocupação aos seus homens e impedindo que os inimigos recebessem víveres. Trabalho demorado e difícil, que ele executou em bem pouco tempo, contra a opinião de todos os seus homens, e fez abrir uma trincheira através da Península, de quinze léguas de comprimento, quinze pés de largura e quinze pés de profundidade. Sobre a trincheira fez construir uma muralha muito alta e forte, da qual Spartacus a princípio se riu. Quando, porém, sua pilhagem começou a falhar, e se viu na impossibilidade de obter víveres em toda a Península, devido àquela muralha, numa noite de neve espessa e vento impetuoso, ele mandou encher de terra, pedras e galhos de árvores um trecho não muito extenso da trincheira, por onde fez passar um terço do seu Exército.
A princípio, Crasso receou que Spartacus tomasse a resolução de seguir para Roma. Logo, porém, tranquilizou-se, pois soube haver sério desentendimento, entre eles, e que uma grande tropa, revoltada contra Spartacus, separara-se dele e fora acampar junto a um Lago da Lucânia, cuja água de tempos a tempos torna-se doce, e a seguir tão salgada que não pode ser bebida. Tendo-os atacado, Crasso expulsou-os dali, mas não conseguiu matar grande número, nem afastá-los para muito longe, porque Spartacus apareceu de repente com seu exército, e fez cessar a perseguição.
Crasso, que havia escrito ao senado ser necessário chamar Lúculo da Trácia e Pompeu da Hispânia, arrependido de havê-lo feito, esforçava-se o mais possível de dar fim a esta Guerra antes que eles chegassem, por saber que atribuiriam toda a Glória da sua conclusão ao recém-chegado que lhe fosse em auxílio, e não a ele. Por isso ele resolveu primeiramente atacar os que se haviam revoltado e entrincheirado à parte, às ordens dos Capitães Caio Canício e Casto. Para tal, fez seguir seis mil Soldados de Infantaria, para assenhorear-se de uma eminência, ordenando-lhes que tudo fizessem para não serem vistos nem descobertos pelos inimigos. O que eles procuraram realizar o melhor possível, cobrindo seus morriões e Elmos. Não obstante, eles foram percebidos por duas mulheres que às escondidas faziam sacrifícios em favor dos inimigos, e estiveram em risco de ficar todos perdidos. Crasso, porém, socorreu-os a tempo, dando aos inimigos o combate mais áspero de quantos se realizaram naquela Guerra. Na luta, pereceram doze mil e trezentos homens, lutando valorosamente frente a frente.
Depois desta derrota, Spartacus retirou-se para as montanhas de Petélia, perseguido e escaramuçado sem trégua, pela retaguarda, por Quinto, um dos Tenentes de Crasso, e o seu Tesoureiro Escroía. No fim do dia, porém, tudo mudou de repente, e Spartacus derrotou os Romanos, sendo o Tesoureiro gravemente ferido e salvo a custo. Esta vantagem obtida sobre os Romanos deu origem à ruína final de Spartacus, porque os seus Guerreiros, quase todos Escravos fugitivos, encheram-se de tamanho orgulho e audácia que não quiseram deixar de Combater, nem obedeceram mais ao seu Comandante. Pelo contrário, como se achavam a caminho, cercaram-nos e disseram-lhes que, quisessem ou não, era preciso que voltassem depressa e os conduzissem pela Lucânia contra os Romanos, que era o que Crasso pedia, pois sabia que Pompeu se aproximava, à que muitos em Roma discutiam e brigavam por sua causa, dizendo que a vitória final desta guerra lhe era devida, e que logo que ele ali chegasse tudo seria decidido com um único Combate.

Por isso, procurando combater, e aproximando-se o mais possível dos inimigos, Crasso mandou um dia abrir uma trincheira, que os fugitivos procuraram impedir, carregando furiosamente sobre os que se ocupavam de tal tarefa. A luta tornou-se violenta. E, como, a todo momento, chegassem reforços de parte a parte, Spartacus viu-se obrigado a lançar mão de todos os recursos.
Isto feito, lançou-se através da pressão dos Romanos, procurando aproximar-se de Crasso, sem o conseguir, e matou dois Centuriões Romanos que o enfrentaram. Por fim todos os que o rodeavam fugiram, e ele permaneceu firme em seu posto, completamente cercado, lutando valentemente, até ao final...
Embora Crasso fosse muito feliz e satisfizesse todos os seus deveres de bom Comandante e de homem valente, expondo-se a todos os perigos, não pôde impedir que a honra do termo daquela Guerra fosse atribuída a Pompeu, porque os que escaparam deste último combate cairam-lhe às mãos e ele aniquilou-os, escrevendo ao Senado que Crasso vencera os fugitivos em combate regular, mas ele destruíra todas as raízes dessa Guerra. Pompeu teve assim entrada Triunfal em Roma, por haver vencido Sertório,o ultimo chefe Lusitano(Que outrora fora um General Romano...) e reconquistado a Hispânia. A Crasso foi-lhe concedida uma ovação após a sua Vitória. Não recebeu um Triunfo por ter sido ganha contra Escravos, mas o Senado permitu-lhe portar a coroa de loureiro em vez da de mirto, considerando a importância desta vitória.

Crasso puniu os que sobreviveram, mandando crucificar( o castigo maior dos Romanos)6000 revoltosos ao longo da Via Ápia,desde Cápua até Roma.